Buscar

Cachorros e o fim de ano: dicas e cuidados

Atualizado: 30 de out. de 2020



Com a chegada do período das festas do final de ano, alguns cuidados são necessários para o bom proveito de todos, inclusive do seu pet.


Cuidado com o calor

O fim de ano coincide com a chegada do verão e com ele, as altas temperaturas.

Além de garantir que o pet esteja bem hidratado, com livre acesso à água fresca, é importante lembrar de fazer os passeios em horários de pouca incidência de sol.


Nessa estação do ano, o mormaço do asfalto pode queimar as patinhas do seu pet. Portanto, opte por fazer passeios antes das 10h da manhã ou após às 16h da tarde. Cuidado especial com as raças braquicefálicas, como os Bulldogs, Pugs, dentre outras, pois o formato da cabeça com o focinho achatado comprometem a respiração. Banhos refrescantes durante o dia também podem ajudar a combater o calor.


Cuidado com os enfeites

A casa toda enfeitada para o Natal traz um ar totalmente diferente nesta época do ano, mas para quem tem pet, alguns cuidados são essenciais.


As bolinhas da árvore de Natal podem parecer um brinquedo muito atrativo para seu bichinho. Entretanto, além do perigo de ingestão deste objeto, o pet pode tentar puxar a bolinha, o que pode fazer com que a árvore tombe sobre ele.


O pisca-pisca também oferece grande risco aos pets, porque podem vir a morder o fio e se machucar, uma vez que há risco de choque elétrico.


As fitas, sacolas e embrulhos de presentes denotam perigo constante, pois podem ser engolidos. Então, cuidado redobrado para que nenhum transtorno afete a hora tão esperada da troca de presentes!


Por precaução, é preferível que se considere montar a árvore de Natal em um local seguro, fora do alcance do pet.


Fogos de artifício

Os cães têm a audição muito aguçada, são capazes de ouvir seu dono chegar ou identificar quando algum perigo se aproxima.


Durante o período de festas, essa qualidade de audição aguçada pode representar um incômodo. A explosão dos fogos de artifício, por exemplo, assustam demais os pets.


Em abril deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu a lei que proibia o uso de fogos de artifícios ruidosos na cidade de São Paulo. Porém, tal decisão foi revogada e a lei continua em vigor. Mas, mesmo assim, alguns cuidados são indispensáveis e devem ser aderidos pelos tutores para prevenir transtornos que atrapalhem a comemoração, além de garantir o bem-estar do pet.


Aconselha-se que o cuidador permaneça ao lado do pet o tempo todo, mantendo a tranquilidade na hora dos fogos; essa postura vai transmitir confiança ao animalzinho.


Atenção também às portas! Muitos pets tentam fugir na tentativa de se proteger contra o barulho que os perturbam. O mesmo vale para portões que dão acesso à rua. É recomendado o uso de uma coleira com placa de identificação com telefone do dono, pois caso o pet fuja, será mais fácil encontrá-lo.


Ofereça alimentos leves! De estômago cheio e com a agitação, alguns cachorros podem ser acometidos da “torção gástrica” – uma condição emergencial, geralmente observada em casos de perigo e medo sofridos pelos cães, na qual o estômago dilatado se torce sobre o próprio eixo. O pavor de fogos de artifício pode ser uma dura circunstância a ser suportada pelo seu pet, e infelizmente pode trazer complicações drásticas, inclusive levá-lo a óbito.


Fechar janelas e cortinas pode ajudar a abafar o som dos fogos de artifício.


Mantenha o pet longe de escadas para evitar quedas.

Jamais deixe-o amarrado. Numa tentativa de escape, o pet pode acabar se enforcando. Se houver mais animais na casa, é bom separá-los para evitar possíveis brigas nesse momento.


Considere a possibilidade de hospedar o seu pet em um hotel especializado e localizado em área rural, certificando de que seja um local onde não ocorra queima de fogos.


É comum a recomendação para que o tutor coloque tampões no ouvido do pet, mas é muito importante que se faça a retirada dos tampões por completo depois, certificando de que não há nenhum resíduo no ouvido.


Enfim... Que você e seu pet tenham boas festas!!!